Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 23h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

agronegócios

Notícia da edição impressa de 15/07/2016. Alterada em 14/07 às 21h14min

Retorno da chuva beneficia culturas de inverno

A chuva, que voltou ao Rio Grande do Sul na última semana, beneficiou os produtores de trigo, canola, cevada e linhaça, alguns dos cultivos típicos do inverno no Estado. De acordo com o Informativo Conjuntural divulgado pela Emater/RS-Ascar nesta quinta-feira, as lavouras de trigo, principal grão da estação, já estão em fase final de implantação, restando poucas áreas para serem semeadas.
"A umidade do solo vem propiciando também a retomada de um desenvolvimento vegetativo mais vigoroso da cultura do trigo, que estava paralisado pela falta de umidade no solo", comenta o diretor técnico da Emater/RS, Lino Moura. Com as condições propícias, os produtores retomaram a aplicação de fertilizante nitrogenado em cobertura e de herbicidas, para o controle de ervas.
Os extensionistas registraram uma boa emergência nas áreas que continham sementes de trigo no solo, esperando por melhores condições de germinação. Entretanto, algumas lavouras apresentam stand variável de plantas, fruto das condições inadequadas de umidade no solo quando da semeadura, mas a situação segue sendo considerado satisfatória na média para o Estado, podendo ser totalmente recuperado, caso as precipitações ocorram de maneira regular e com baixa intensidade.
A chuva que ocorreu na semana que passou ativou o crescimento das plantas e favoreceu o controle de invasoras nas plantações de canola, que estão majoritariamente na fase de desenvolvimento vegetativo. Segundo a Emater/RS-Ascar, também favoreceu a intensificação da aplicação de nitrogênio em cobertura nas áreas semeadas no início de maio.
A cultura da cevada, que sofreu com a falta de umidade do mês de junho, principalmente nas áreas mais arenosas, apresentando plantas descoloridas e de pequeno porte, encontra-se na fase de desenvolvimento e em estágio vegetativo, com boa sanidade.
Nas áreas cultivadas com linhaça na região das Missões, após as chuvas ocorridas, percebe-se boa reação da cultura, já que a semeadura muito próxima da superfície do solo propiciou a retomada do desenvolvimento das sementes que não haviam germinado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia