Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 16h42.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

14/07/2016 - 16h46min. Alterada em 14/07 às 16h46min

Ouro volta a fechar em queda com estímulo a risco

Os contratos futuros de ouro voltaram a uma trajetória descendente nesta quinta-feira e fecharam em baixa, com os investidores procurando por ativos mais arriscados. Os temores com os desdobramentos da saída do Reino Unido da União Europeia caíram hoje após o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) sinalizar que pode cortar os juros em agosto.
O ouro para agosto negociado na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fechou em queda de 0,84%, a US$ 1.332,2 por onça-troy.
Ontem, com o mercado realizando lucros e aguardando a decisão de política monetária do BoE, o ouro havia subido diante das incertezas. No entanto, a decisão de manter os juros a 0,5% surpreendeu os investidores e reduziu os ganhos das bolsas. Porém, o BoE sinalizou que em agosto pode haver um afrouxamento na política monetária, o que voltou a estimular o apetite por risco.
"A corrida para o mercado de ações está transformando o ouro num ativo menos desejado, uma vez que não há busca por segurança no momento", afirmou Bill O'Neill, operador na Logic Advisors.
Desde o Brexit, o ouro vem acumulando ganhos devido à incerteza do mercado sobre como os próximos passos vão afetar a economia europeia e mundial. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia