Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 10h19.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

14/07/2016 - 10h20min. Alterada em 14/07 às 10h20min

Taxas futuras de juros recuam em linha com dólar e após vitória de Maia na Câmara

Os juros futuros caem na manhã desta quinta-feira (14) em linha com o dólar e refletindo o bom humor do investidor após a vitória do aliado do presidente em exercício, Michel Temer, o deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), para a presidência da Câmara.
O IBC-Br de maio, por sua vez, veio dentro do previsto e confirma a percepção de fraqueza da economia, mas é mais um ingrediente para o recuo das taxas. Às 9h38min desta quinta, o DI para janeiro de 2018 exibia 12,64%, de 12,68% no ajuste anterior. O DI para janeiro de 2021 estava em 11,97%, de 12,04% no ajuste de ontem.
Após alta de 0,03% em abril, o IBC-Br, tido como uma prévia do PIB, caiu 0,51% em maio ante abril, com ajuste, pior que a mediana das projeções (-0,22%), mas dentro do intervalo previsto (-0,70% a +0,20%), segundo levantamento do Broadcast Projeções.
No exterior, embora o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) tenha optado por manter a taxa básica de juros em 0,5%, a maioria do colegiado espera relaxar a política já em agosto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia