Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de julho de 2016. Atualizado às 10h27.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Varejo

12/07/2016 - 10h18min. Alterada em 12/07 às 10h30min

Vendas do comércio têm maior queda para maio desde 2001, aponta IBGE

Recuo nas vendas foi de 9% sobre maio de 2015

Recuo nas vendas foi de 9% sobre maio de 2015


SANDY HUFFAKER/GETTY IMAGES/AFP/JC
As vendas do comércio varejista caíram 1,0% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal, informou nesta terça-feira (12), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado veio abaixo do intervalo das estimativas dos analistas, que esperavam desde uma queda de 0,50% a crescimento de 1,00%, com mediana positiva de 0,40%.
Na comparação com maio de 2015, sem ajuste sazonal, as vendas do varejo tiveram baixa de 9,0% em maio de 2016. Nesse confronto, as projeções iam de declínio de 4,95% a 8,00%, com mediana negativa de 6,30%.
As vendas do varejo restrito acumulam retração de 7,3% no ano e recuo de 6,5% em 12 meses.
Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas caíram 0,4% em maio ante abril, na série com ajuste sazonal. O resultado veio abaixo do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos, que esperavam crescimento de 0,10% a 2,70%, com mediana positiva de 1,20%.
Na comparação com maio de 2015, sem ajuste, as vendas do varejo ampliado tiveram baixa de 10,2% em maio de 2016. Nesse confronto, as projeções variavam de retração de 8,70% a 5,90%, com mediana negativa de 7,60%.
Até maio, as vendas do comércio varejista ampliado acumulam queda de 9,5% no ano e recuo de 9,7% e 12 meses.
A queda de 9,0% nas vendas do varejo restrito em maio ante o mesmo período do ano anterior foi o pior resultado para o mês desde o início da série histórica da Pesquisa Mensal de Comércio, iniciada em janeiro de 2000, informou o IBGE.
No conceito ampliado, que inclui os segmentos de veículos e material de construção, o recuo de 10,2% no volume vendido foi o segundo mais negativo da série histórica, atrás apenas da taxa de -10,4% registrada em maio do ano passado.
"Mas as vendas recuam 10,2% em cima de uma base já bastante baixa, de queda de 10,4%", lembrou Isabella Nunes, gerente na Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE.
O índice de média móvel trimestral das vendas do comércio varejista restrito caiu 0,5% em maio, aponta o IBGE. No varejo ampliado, que inclui as atividades de veículos e material de construção, o índice de média móvel trimestral das vendas teve recuo de 1,1% em maio.
O IBGE revisou o resultado das vendas no varejo em abril ante março, que passou de alta de 0,5% para 0,3%.
O resultado do varejo ampliado (que inclui veículos e material de construção) também foi revisto para o período, saindo de -1,4% para -1,5%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia