Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 12 de julho de 2016. Atualizado às 08h48.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

aviação

12/07/2016 - 08h49min. Alterada em 12/07 às 08h49min

Qatar Airways planeja ter 10% da Latam Airlines

A Latam vem enfrentando problemas de fraca demanda de passageiros

A Latam vem enfrentando problemas de fraca demanda de passageiros


EVARISTO SA/AFP/JC
A Qatar Airways anunciou nesta terça-feira (12) que planeja assumir uma fatia de até 10% na Latam Airlines, como parte de sua iniciativa de ampliar investimentos em outras empresas aéreas.
O executivo-chefe da Qatar Airways, Akbar Al Baker, disse que a companhia irá investir US$ 613 milhões na Latam, que foi criada em 2010 a partir da fusão da brasileira TAM com a chilena LAN. A Latam vem enfrentando problemas de fraca demanda de passageiros.
Al Baker disse "reconhecer desafios localizados de curto prazo", mas demonstrou confiança na perspectiva de longo prazo da Latam.
Pelo acordo, a Latam também fará uma oferta de ações na Bolsa do Chile, que será subscrita pela Qatar Airways.
A Qatar Airways é parceira da Latam na oneworld alliance e é também a maior acionista na controladora da British Airways, a International Consolidated Airlines Group.
Acionistas da Latam ainda precisam aprovar o acordo em uma reunião extraordinária, que ocorrerá antes de 2 de setembro.
"Acreditamos que esse investimento nos permitirá explorar novas possibilidade de conectar a América do Sul ao Oriente Médio e Ásia e fortalecer nossa posição financeira", comentou o executivo-chefe da Latam, Enrique Cueto.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia