Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 04 de julho de 2016. Atualizado às 20h21.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

04/07/2016 - 20h21min. Alterada em 04/07 às 20h21min

Petrobras coloca à venda campos de petróleo no Ceará e em Sergipe

Folhapress
A Petrobras informou nesta segunda-feira (4) que abriu concorrência para a venda de nove campos de petróleo localizados no Ceará e em Sergipe. Juntos, os campos produziram em 2015 um total de 13 mil barris de petróleo e gás por dia, o equivalente a 0,5% da produção da estatal no período.
Os ativos foram divididos em dois pacotes. O pacote cearense tem cinco campos e o de Sergipe, quatro. Os interessados terão que fazer lances para cada conjunto de campos.
"Os campos foram agrupados em polos de produção, com instalações integradas, de forma a proporcionar aos novos concessionários plenas condições de operação", informou a estatal, em comunicado.
A estratégia está sendo adotada também no processo de venda de campos terrestres, anunciado em março.
"A venda será realizada por meio de processo competitivo e a Petrobras avaliará os termos e condições das propostas que venham a ser recebidas", diz a empresa.
O programa de venda de ativos é parte do esforço da Petrobras para reduzir seu elevado endividamento, na casa dos R$ 450 bilhões, segundo o último balanço divulgado pela companhia, referente ao primeiro trimestre de 2015.
O plano é se desfazer de US$ 15,1 bilhões. Até agora, porém, a companhia só conclui as operações de venda de parte da subsidiária Gaspetro e de suas operações na Argentina e no Chile, que lhe renderam US$ 2,1 bilhões.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia