Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 01 de julho de 2016. Atualizado às 17h35.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

01/07/2016 - 17h35min. Alterada em 01/07 às 17h35min

Ouro fecha em alta em Nova Iorque, puxado por dados fracos da China

Os contratos futuros de ouro fecharam em alta na sessão desta sexta-feira (1) puxados por dados fracos da economia da China e ecos da decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, que completa uma semana hoje. Assim, o ouro para agosto, negociado na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), fechou em alta de 1,39%, a US$ 1.339,00 por onça-troy.
A China ter apresentado queda no índice dos gerentes de compras (PMI na sigla em inglês) do setor industrial em junho reforçou uma percepção de que as perspectivas mundiais para o crescimento econômico estão se deteriorando, segundo o analista de metais preciosos na Macquarie, Matthew Turner.
Além disso, as preocupações em torno das possíveis consequências econômicas da saída do Reino Unido da União Europeia continuam rondando a mente dos investidores e estimulando a noção de que uma alta nos juros básicos das economias fortes, como os EUA, não deve vir tão cedo. Nesse cenário, o ouro ganha espaço em relação a investimentos arriscados.
"Desde o voto pelo Brexit - associado a dados econômicos fracos - as pessoas esperam que as taxas de juros fiquem baixas por mais tempo, e isso é positivo para os metais preciosos", afirmou Turner. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia