Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 17 de julho de 2016. Atualizado às 18h08.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Ana Fritsch

De salto alto

varejo

Notícia da edição impressa de 18/07/2016. Alterada em 15/07 às 18h55min

A profissionalização no mundo fashion

Febravar reuniu Alexandre Herchcovitch e Lilian Pacce para discutir o futuro da moda no Brasil

Febravar reuniu Alexandre Herchcovitch e Lilian Pacce para discutir o futuro da moda no Brasil


Febravar/Divulgação/JC
Fazer moda vai muito além de cortar e costurar. É um mercado que envolve planejamento, expertise e conhecimento em diferentes áreas. "Ela é um negócio e a gente a faz para vender. A indústria fashion tem um objetivo muito claro, assim como outros setores", afirma Alexandre Herchcovitch, convidado especial da 4ª edição da Feira Brasileira do Varejo (Febravar), realizada pelo Sindilojas Porto Alegre no BarraShoppingSul, em Porto Alegre.
Herchcovitch falou sobre sua trajetória profissional e os desafios de manter uma marca no Brasil. Um dos mais importantes estilistas brasileiros, com desfiles no São Paulo Fashion Week e na semana de moda de Nova Iorque, formou-se em 1993. "Na época existiam apenas três faculdades de moda no Brasil, hoje são mais de 200. A profissionalização é muito maior. Quando me formei, todos queriam ser estilistas", diz.
Para ele, é necessário que o designer tenha noções empresariais e que outras áreas da empresa tenham noções de estilismo. "É preciso ter expertise em algo. Onde você vai ser melhor? O que você faz de melhor? Aprofunde-se nisso e diferencie-se da concorrência", aconselha Herchcovitch. "A diversificação de produtos e roupas é muito saudável para o mercado", completa.

Vida nova

Após 23 anos à frente da marca que leva seu nome, Herchcovitch deixou a empresa. Desde fevereiro, cria e produz peças para a grife À La Garçonne, fundada por Fábio Souza, seu marido. A brand começou como um brechó, expandiu para mobiliário vintage e agora trabalha com roupas focadas na sustentabilidade, com peças feitas de tecidos reciclados, antigos e novos. "O desenvolvimento sustentável é um caminho sem volta. A moda é uma das últimas indústrias a pensar em como poluir menos e em como reciclar", comenta.

Mais colaboração, menos competição

Estilista participou de um bate-papo com apresentadora do canal pago GNT
Estilista participou de um bate-papo com apresentadora do canal pago GNT
FEBRAVAR /DIVULGAÇÃO/JC
A conversa com o estilista continuou com a presença da apresentadora e editora-chefe do GNT Fashion, da GNT, Lilian Pacce. Os dois discutiram os pequenos negócios, novos estilistas e futuro da moda no Brasil. "Nenhuma empresa nasce grande. No início o estilista terá que fazer de tudo um pouco, terá que arriscar e ser do tamanho que puder ser", analisa o designer. Para Lilian, este é o caminho. "É preciso transitar por todas as áreas até que o negócio evolua", diz.
Questionados sobre o compartilhamento de espaços de trabalho, cada vez mais comum em todo o mundo, os dois se mostram favoráveis. "Quem tem identidade não precisa temer. Estamos em tempos de mais colaboração e menos competição", diz Lilian. "A força coletiva pode ser muito positiva", completa Herchcovitch.

Empresa Gaúcha expande para o mercado nordestino

"O mercado nordestino é muito próspero e carente desse tipo de serviço de gestão de pessoas", diz a proprietária Camilla Terra
"O mercado nordestino é muito próspero e carente desse tipo de serviço de gestão de pessoas", diz a proprietária Camilla Terra
GRUPO CAMILA TERRA /DIVULGAÇÃO/JC
O Grupo Camilla Terra - Consultoria Organizacional, empresa gaúcha com 12 anos de atuação no Rio Grande do Sul e 2 anos em São Paulo, expandiu seus negócios para Bahia e abriu filial em Salvador. "O mercado nordestino é muito próspero e carente desse tipo de serviço de gestão de pessoas", diz a proprietária Camilla Terra.
A empresa aposta em modernas técnicas de gestão organizacional como diferencial competitivo, como games corporativos. "Em tempos difíceis é preciso investir mais ainda no negócio e mostrar força para o mercado. Nenhuma crise é para sempre. Temos que estar preparados para quando tudo passar", diz Camilla.

Mulheres de negócios

A Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais de Porto Alegre (BPW Porto Alegre) sediará, entre os dias 17 e 20 de novembro, a XXVIII Convenção da Federação das Associações de Mulheres de Negócios e Profissionais do Brasil (Confam/BPW Brasil).
O evento será realizado no Everest Porto Alegre Hotel (rua Duque de Caxias, 1.357) e contará com a presença de 150 lideranças de todo o País. Com o tema "Mulheres Protagonistas: Atitudes e Resultados" o encontro debaterá o papel da mulher no mercado e suas realizações.

Agenda

  • Entre os dias 21 e 24/7 acontece, em São Paulo, o 24º Congresso Científico Internacional de Estética, encontro oficial dos profissionais de saúde, beleza e estética do País.
  • Porto Alegre terá uma unidade do Istituto Europeo Di Design (IED). O primeiro curso de extensão oferecido será Cool Hunting: Tendência de Comportamento e Consumo, nos dias 5, 6, 12 e 13/8 no Hotel Radisson Porto Alegre (avenida Coronel Lucas de Oliveira, 995). O IED está presente na Itália, Espanha, Brasil e terá uma futura instalação na China.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia