Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 31 de julho de 2016. Atualizado às 18h36.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Opinião

Notícia da edição impressa de 01/08/2016. Alterada em 29/07 às 17h41min

Doze passos para o líder demitir um funcionário

Daniela do Lago
A demissão faz parte do jogo corporativo! Desligar um profissional da empresa não é algo agradável de se fazer, mas é preciso falar a respeito, ainda mais em época de crise. São raras as companhias que ensinam aos líderes os cuidados de como conduzir esse processo e, como resultado, eles podem falar o que não devem, fazendo com que o funcionário desligado se sinta desrespeitado e, por conta disso, cogite dar entrada em uma ação trabalhista.
Por onde passo, muitos líderes dizem que "não gostam" de demitir e, por isso, deixam a tarefa árdua para a área de Recursos Humanos (RH). É o pior erro que esses profissionais podem cometer, pois a atitude demonstra total desrespeito com o demitido.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia