Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de junho de 2016. Atualizado às 18h52.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Senado

24/06/2016 - 18h52min. Alterada em 24/06 às 18h52min

Líder do governo no Senado, Aloysio Nunes diz que DRU deve ser aprovada em agosto

O líder do governo no Senado, Aloysio Nunes (PSDB-SP), disse em entrevista que sua prioridade no momento é a aprovação da prorrogação da DRU (Desvinculação das Receitas da União), proposta que deve ser apreciada em agosto. Após ter sido aprovada na Câmara, a DRU está agora na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado.
De acordo com Nunes, o presidente da comissão José Maranhão (PMDB-PB) se comprometeu a colocar a PEC da DRU em pauta na próxima sessão, na quarta-feira (29). Considerando que deve haver pedido de vista na comissão, além de prazos regimentais e sessões de discussão, o líder avalia que não será possível votar a proposta antes do recesso de julho, mas que deve ser a primeira pauta do ajuste a ser apreciada na Casa no segundo semestre. "Acho que antes do recesso não se aprova, mas no mês de agosto seguramente vamos aprovar", afirmou.
Outras pautas, como o estabelecimento do teto para os gastos públicos com referência na inflação do ano anterior, podem ficar um pouco mais pra frente, mas devem ser apreciadas ainda neste ano. Aloysio demonstrou confiança na consolidação da base do governo Temer no Congresso, em especial na Câmara, onde as propostas costumam enfrentar mais dificuldade de aprovação. "O governo tem uma maioria bastante sólida na Câmara, mostrou isso em algumas votações e vai mostrar novamente."
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia