Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de junho de 2016. Atualizado às 23h06.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

impeachment

Notícia da edição impressa de 14/06/2016. Alterada em 13/06 às 23h05min

Dispensa de testemunhas gera tumulto em comissão

Senador Lindbergh Farias criticou estratégia da base de Michel Temer

senador lindbergh farias em reunião da comissão do impeachment no senado foto Jefferson Rudy Agência Senado


JEFFERSON RUDY/AGÊNCIA SENADO/JC
A dispensa de quatro testemunhas de acusação convidadas que participariam da reunião da Comissão Especial do Impeachment ontem provocou novo tumulto no colegiado. O pedido de cancelamento das oitivas foi feito pelos aliados do presidente em exercício, Michel Temer (PMDB), para tentar acelerar ainda mais o processo. As testemunhas haviam sido convocadas pela própria acusação, que voltou atrás com a justificativa de que já há evidências suficientes de que a presidente afastada Dilma Rousseff (PT) cometeu crime de responsabilidade.
Foram dispensados da reunião de ontem Marcus Pereira Aucélio, ex-subsecretário de Política Fiscal do Tesouro Nacional, e Esther Dweck, ex-secretária de Orçamento e Finanças. A comissão também dispensou duas testemunhas que haviam sido indicadas por senadores: Marcelo Saintive, ex-secretário do Tesouro Nacional, e Marcelo Amorim, ex-coordenador-geral de Programação Financeira do Tesouro Nacional.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia