Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de junho de 2016. Atualizado às 19h15.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

novo governo

08/06/2016 - 19h15min. Alterada em 08/06 às 19h15min

Meirelles conversará com base aliada na terça-feira sobre teto para gastos

O líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC-SE), afirmou nesta quarta-feira (8), que o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, se reunirá com líderes da base aliada na próxima terça-feira (14), para discutir a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que limita os gastos públicos.
A conversa ocorrerá durante reunião semanal dos líderes no fim da manhã de terça-feira. A ideia, afirmou o deputado sergipano, é que o ministro da Fazenda apresente detalhes da proposta e ouça a opinião dos deputados aliados. Somente depois do debate com os líderes o governo enviará a PEC.
Moura lembrou que, na Câmara, a PEC percorrerá um longo caminho. Primeiro deverá ter sua admissibilidade aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Em seguida, seguirá para uma comissão especial que analisará o mérito da proposta. Somente após aprovada pelo colegiado especial poderá ser votada em plenário.
Por ser uma PEC, a matéria precisa ser aprovada em dois turnos no plenário, com apoio de 3/5 dos integrantes da Câmara, ou seja por pelo menos 308 deputados. Da Casa, a proposta seguirá para o Senado, onde pode ser analisada diretamente pelo plenário. No Senado, também precisa ser aprovada em dois turnos por 49 senadores.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia