Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de junho de 2016. Atualizado às 09h00.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

bélgica

21/06/2016 - 09h00min. Alterada em 21/06 às 09h00min

Centro comercial é evacuado em Bruxelas depois de ameaça de bomba

Área isolada fica no centro de Bruxelas

Área isolada fica no centro de Bruxelas


NICOLAS MAETERLINCK/BELGA/AFP/Jc
Agência Brasil
Um centro comercial de Bruxelas foi evacuado devido a uma ameaça de bomba, informou nesta terça-feira (21) a agência RTL. Um terrorista suspeito foi detido. De acordo com o primeiro-ministro belga, Charles Michel, a situação é "muito séria", disse a agência. Ele chamou uma reunião de emergência. A área do centro comercial City 2 está cercada pala polícia e os bombeiros ficam no local, de acordo com a emissora.
"Um homem foi detido esta manhã, às 5h30min, pelo horário local (00h30 em Brasília). Suspeita-se que ele procurasse o local para instalar os explosivos. A equipe antibomba do Exército está verificando o local", afirmou o porta-voz da promotoria de Bruxelas, citado pela Reuters.
"Existe a ameaça porque a polícia foi informada de que um homem estava carregando um cinto de explosivos, que poderia ainda ficar nesse edifício", disse um repórter da RTL.
Em 22 de março de 2016, uma série de explosões ocorreu em Bruxelas, capital da Bélgica. Duas delas atingiram o aeroporto internacional de Zaventem e uma atingiu a estação de metrô de Maelbeek. A cidade foi praticamente paralisada, pois ficou quase sem transporte público.
Como resultado dos atentados no aeroporto, realizados pelos homens-bomba Ibrahim Bakraoui e Najim Laachraoui, morreram mais de 30 pessoas e mais de 170 ficaram feridas.
O terceiro homem-bomba, Mohamed Abrini, falhou em se explodir, fugiu, mas foi preso em abril.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia