Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 12 de junho de 2016. Atualizado às 23h09.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Direitos Humanos

12/06/2016 - 22h37min. Alterada em 12/06 às 23h09min

Ato em São Paulo lembra massacre em Orlando e homenageia vítimas de homofobia

Vigília acontece na Avenida Paulista em homenagem aos mortos no massacre da boate Pulse, em Orlando

Vigília acontece na Avenida Paulista em homenagem aos mortos no massacre da boate Pulse, em Orlando


Elaine Patricia Cruz/Agência Brasil/JC
A Avenida Paulista, em São Paulo, é palco na noite deste domingo (13) de uma homenagem às vítimas de um atirador solitário que matou 50 pessoas e feriu 53 na boate Pulse, voltada para o público LGBT em Orlando, estado da Flórida, nos Estados Unidos. Os números foram confirmados pela polícia local e o atirador, que também morreu, foi indentificado como Omar Mateen, 29 anos, norte-americano de origem muçulmana.
Com velas e faixas, diversas pessoas fazem uma vigília pelos mortos do massacre em Orlando e lembram também todas as vítimas de homofobia pelo mundo. O ato, chamado de Vigília pelas Vítimas de LGBTfobia, foi convocado pelas redes sociais e começou por volta das 18h, ainda quando a avenida estava fechada para carros [aos domingos, a Avenida Paulista é aberta durante o dia apenas para pedestres e ciclistas]. Pouco depois, os manifestantes carregaram as velas e faixas para o vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), onde o ato prosseguiu.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia