Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de junho de 2016. Atualizado às 16h47.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

RIO-2016

28/06/2016 - 16h47min. Alterada em 28/06 às 16h47min

Governo lança cartilha para população identificar riscos de atentados no Rio-2016

O governo federal lançou uma campanha para informar a população do Rio de Janeiro e das cidades-sede do futebol na Olimpíada sobre como identificar possíveis ameaças terroristas durante os Jogos do Rio-2016. Um folder ilustrado aponta para atitudes consideradas suspeitas, o que inclui até mesmo tirar fotos e observar "instalações sensíveis e sistema de segurança" ou usar roupas e mochilas "destoantes das circunstâncias e do clima".
O material foi elaborado pelo Ministério da Defesa, em parceria com o Ministério da Justiça e da Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Chamada de "Plano de Sensibilização e Dissuasão a Ameaças Terroristas", a campanha consiste na distribuição de folders, cartazes e cartilhas.
Uma das preocupações dos órgãos de segurança durante a Olimpíada é com a atuação dos chamados "lobos solitários". São pessoas sem vínculo com grupos terroristas, mas que aproveitam grandes eventos para cometer atentados.
Nos meses de agosto e setembro, durante a realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, o Rio espera receber 700 mil turistas de 209 nações. Pelo menos 100 chefes de Estado deverão estar na cidade olímpica, além de 12 mil atletas.
Durante os Jogos, será instalado o Centro Integrado Antiterrorismo e o Centro de Cooperação Policial Internacional. Cerca de 250 policiais estrangeiros, de 55 países, serão acionados sempre que houver um cidadão de seu país envolvido em alguma ocorrência e prestarão apoio especialmente no processo de identificação e na comunicação do idioma de sua nacionalidade.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia