Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 25 de junho de 2016. Atualizado às 16h27.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Eurocopa

25/06/2016 - 16h25min. Alterada em 25/06 às 16h28min

Gol contra coloca País de Gales nas quartas de final da competição

Wales' forward Gareth Bale (C) greets the fans after their victory during the Euro 2016 round of sixteen football match Wales vs Northern Ireland, on June 25, 2016 at the Parc des Princes stadium in Paris.

Bale e colegas de seleção comemoram classificação inédita do País de Gales


Thomas SAMSON/AFP/JC
Dois dias depois do Brexit, como ficou conhecido o referendo que decidiu pela saída da Grã-Bretanha da União Europeia, neste sábado (25) um britânico teria de deixar a Eurocopa nas oitavas de final. E sobrou para a Irlanda do Norte, que perdeu do País de Gales por 1 a 0 em um jogo de baixa qualidade técnica em Paris, na França. Ambos são estreantes em Eurocopa, de modo que a classificação de Gales para as quartas de final é inédita.
A eliminação da Irlanda do Norte também significa o fim do canto que tomou conta da Eurocopa, homenageando o atacante Will Grigg que, pelo que cantam os norte-irlandeses, estava "on fire" ("pegando fogo"). Mas todo o fogo dele só serviu para esquentar o banco de reservas. Grigg, estrela improvável da competição, vai embora sem sequer ter jogado.
Já Gales avança às quartas de final para pegar quem passar do duelo entre Hungria e Bélgica, domingo, em Toulouse. O confronto pela próxima fase será só na sexta-feira, em Lille. É a primeira vez que um time britânico que não a Inglaterra fica entre os oito primeiros colocados da Eurocopa.
Irlanda do Norte e País de Gales chegaram pela primeira vez à competição continental exatamente na primeira edição que a Eurocopa tem 24 times, oito a mais do que antes. A expansão deu a oportunidade para que ambas as torcidas dessem show na França, mas fez com que a Eurocopa assistisse a partidas sofríveis.
Foi o caso do primeiro tempo do jogo deste sábado no Parque dos Príncipes. O primeiro tempo só não foi totalmente ruim porque metade do estádio era vermelha e cantava sem parar e a outra metade era verde e também não sossegava.
No campo, Gales chegou a mandar uma bola pras redes, aos 18 minutos, mas Ramsey estava impedido e o lance não valeu. A Irlanda do Norte respondeu com um chute de Ward de fora da área, que Hennessey pegou. País de Gales tinha mais posse de bola, jogadores mais talentosos, mas não conseguia transformar a superioridade técnica em chances de gol.
No segundo tempo, Gales melhorou e, consequentemente, o jogo também. Vokes perdeu pelo alto aos 7 minutos, McGovern pegou falta batida por Bale aos 12, e o gol enfim saiu aos 30 minutos. Bale recebeu pela esquerda e cruzou. Antes que a bola chegasse em Robson-Kanu, McAuley tentou cortar e mandou contra o próprio gol.
Como um típico time britânico, a Irlanda do Norte passou a apostar nos chuveirinhos para tentar empatar. Não deu certo, apesar da tentativa do goleiro McGovern de se arriscar na área no último lance.

FICHA TÉCNICA

  • País de Gales: Hennessey; Gunter, Chester, Ashley Williams, Davies e Taylor; Allen, Ledley (Jonathan Williams) e Ramsey; Bale e Vokes (Robson-Kanu). Técnico - Chris Coleman.
  • Irlanda do Norte: McGovern; Hughes, McAuley (Magennis), Cathcart e Jonny Evans; Corry Evans, Ward (Washington), Davis, Norwood (McGinn) e Dallas; Lafferty. Técnico - Michael O'Neill.
  • Gol: McAuley (Irlanda do Norte), contra, aos 30 minutos do segundo tempo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia