Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de junho de 2016. Atualizado às 00h03.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Campeonato Brasileiro

23/06/2016 - 00h03min. Alterada em 23/06 às 00h03min

Na estreia de Cristóvão Borges, Corinthians perde para o Atlético-MG

O primeiro jogo de Cristóvão Borges ficará marcado por erros grosseiros da arbitragem, do jovem zagueiro Pedro Henrique e pela falta de qualidade na finalização. Assim, o Atlético-MG venceu por 2 a 1 o Corinthians, no Mineirão, e frustrou os planos da equipe paulista, que pretendia acabar a rodada próximo dos líderes.
Com o resultado, o Corinthians se manteve com 16 pontos, seis a menos que o líder Palmeiras. Já o Atlético chega aos 13 e começa a se afastar da parte inferior da tabela.
Preocupado em não descaracterizar a equipe bem montada por Tite, Cristóvão Borges manteve o mesmo esquema tático e funções dos jogadores em campo e decidiu explorar o contra-ataque no primeiro tempo. Na parte defensiva, o time não comprometeu, mas faltou maior tranquilidade do meio para frente. O gramado ruim e a boa marcação do Atlético dificultaram a vida do técnico estreante.
Já Marcelo Oliveira escalou o Atlético com três atacantes, sendo que Fred ficava mais enfiado na área enquanto Robinho e Clayton caíam pelas pontas e exploravam o espaço deixado pelos ofensivos laterais do Corinthians. E foi assim que a equipe mineira conseguiu ter maior volume de jogo e criou boas jogadas.
O primeiro tempo acabou sem nenhuma grande chance de gol para as duas equipes, mas dois pênaltis não marcados. Aos 24, cobrança de falta para a área e Romero puxou Erazo pela camisa. Aos 35, Leonardo Silva colocou a mão na bola dentro da área e a arbitragem tampouco marcou.
Na segunda etapa, o Corinthians voltou mais ofensivo e acabou deixando mais evidente a diferença técnica entre os jogadores. Sem criatividade na frente, o time apostava nos lançamentos e cruzamentos para a área enquanto o Atlético insistia em jogar pelas laterais e foi premiado pela dedicação.
Aos 21, Marcos Rocha recebeu na direita, em uma das vezes que conseguiu chegar com liberdade na direita, cruzou rasteiro e Fred desviou, mandando a bola por baixo de Cássio. O lateral do Atlético, porém, estava impedido na jogada e mais uma vez a arbitragem errou.
Com o gol sofrido, Cristóvão resolveu mexer no ataque para tentar ter um pouco de qualidade na frente e colocou Lucca para atuar mais dentro da área e Romero auxiliar no meio de campo. Em uma das jogadas da dupla, Lucca teve uma boa oportunidade, em chute de longa distância e Victor fez a defesa.
O Corinthians parecia esboçar uma reação quando o jovem Pedro Henrique, de apenas 21 anos, correu um erro grosseiro. Aos 37, ao tentar recuar para Cássio, o defensor bateu fraco na bola, Cazares chegou nela primeiro e ainda driblou o goleiro antes de marcar e garantir a festa dos mineiros. Ao final da partida, o garoto chorou e foi consolado até pelos adversários.
Aos 44, um fio de esperança para os corintianos. Romero pegou na direita e cruzou para Lucca desviar e descontar. Apesar da pressão nos minutos finais, Cristóvão Borges perdeu na estreia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia