Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de junho de 2016. Atualizado às 09h30.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Copa América Centenário

Notícia da edição impressa de 13/06/2016. Alterada em 13/06 às 00h39min

Brasil 0 x 1 Peru; e mais uma eliminação melancólica para a coleção

Peruanos celebram gol que eliminou o Brasil na Copa América Centenário

Peruanos celebram gol que eliminou o Brasil na Copa América Centenário


Hector Retamal/AFP/JC
O Brasil entrou em campo na noite de ontem para enfrentar o Peru pela última partida da fase de grupos da Copa América Centenário, em Foxboro, sabendo do que precisava para avançar na competição. Com a vitória do Equador por 4 a 0 sobre o Haiti pouco antes, o time brasileiro avançaria se não perdesse o confronto. Pois, uma seleção sem ambição e que se contentava com o empate sofreu um duro castigo, um gol de mão, e foi eliminada da competição ao perder por 1 a 0. Desde a edição de 1987, disputada na Argentina, o Brasil não caía ainda na primeira fase da Copa América.
O técnico Dunga ousou na escalação do time que iniciou o jogo. Sem poder contar com Casemiro, suspenso, o comandante não colocou em seu lugar o gremista Walace, como era o esperado. Em seu lugar, escolheu o meia Lucas Lima. Assim, Elias recuou para a posição de primeiro volante e Renato Augusto passou a ser o segundo volante.
Com a mudança, a maior posse de bola da seleção (65% no primeiro tempo) se deu no campo ofensivo. Phillipe Coutinho, Lucas Lima e William se movimentavam bastante par abrir espaços para Gabriel na frente. A estratégia, entretanto, não deu o resultado esperado. O Brasil cercou muito a área peruana, mas finalizou apenas duas vezes com perigo na primeira etapa.
A primeira delas foi aos 26 minutos. Elias passou para Gabriel no meio da área, o centroavante girou sobre o marcador e bateu colocado no canto direito do goleiro Gallese, que fez grande defesa. A segunda foi mais uma vez com Gabigol. O jogador do Santos recebeu de Philippe Coutinho e pela esquerda da área chutou forte para outra defesa do goleiro. O primeiro tempo teve ainda um pênalti não marcado de Renato Augusto sobre o peruano Flores.
Precisando vencer para seguir adiante no torneio, o Peru voltou com outra postura no segundo tempo. O time do treinador Ricardo Gareca avançou suas linhas, passando a ocupar o campo brasileiro e fustigar a defesa canarinho.
O Brasil controlava a partida e parecia estar satisfeito com o empate quando, aos 29 minutos, ocorreu o lance que mudou a história da partida. Após jogada pela linha de fundo de Polo, Ruidíaz completou para o gol com o braço direito. Os brasileiros reclamaram e o jogo ficou cinco minutos paralisado enquanto o árbitro consultava seus auxiliares. Ao fim, Andrés Cunha validou o gol.
Os minutos restantes de jogo foram de um Brasil buscando o ataque sem organização alguma, e o Peru se defendendo e valorizando a posse de bola quando possível. Da casamata, Dunga não mexeu no time, não buscou alterar a forma de jogar e viu seu time ser melancolicamente eliminado sem reagir.
Brasil 0 x 1 Peru
Alisson; Daniel Alves, Miranda, Gil e Filipe Luís; Elias, Renato Augusto, Willian, Lucas Lima e Philippe Coutinho; Gabriel (Hulk). Técnico: Dunga.
Gallese; Corzo, Balbín (Yotún), Ramos e Rodríguez; Trauco, Vilchez, Polo e Cueva; Flores (Ruidíaz) e Guerrero. Técnico: Técnico: Ricardo Gareca.
Árbitro: Andrés Cunha (URU)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia