Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 14 de julho de 2016. Atualizado às 20h04.

Jornal do Comércio

Dia do Comércio 2016

COMENTAR | CORRIGIR

Gestão

Notícia da edição impressa de 15/07/2016. Alterada em 14/07 às 19h57min

Expoagas chega aos 35 anos

Feira, marcada para os dias 23, 24 e 25 de agosto, no Centro de Eventos da Fiergs, deve receber 344 expositores

Feira, marcada para os dias 23, 24 e 25 de agosto, no Centro de Eventos da Fiergs, deve receber 344 expositores


DANI VILLAR/DIVULGAÇÃO/JC
A maior feira do setor supermercadista do Cone Sul completa 35 anos. A Expoagas 2016, que terá o tema 35 anos - Tradição em bons negócios, está marcada para os dias 23, 24 e 25 de agosto no Centro de Eventos da Fiergs, em Porto Alegre. Na edição passada, a convenção gaúcha de supermercado apresentou ao varejo mais de 800 lançamentos e encerrou com um volume recorde de negócios, na ordem de R$ 409 milhões - o que representou um crescimento de 11% sobre a edição de 2014. O resultado positivo foi puxado por fornecedores de produtos de higiene e limpeza, laticínios e alimentos.
Há anos que Expoagas deixou de ser um evento supermercadista para se tornar um encontro plurissetorial. O evento é importante não apenas para o segmento supermercadista, mas para toda a cadeia. "Para a indústria é uma vitrine incrível que oportuniza que pequenas empresas regionais tenham acesso aos mesmos clientes que grandes multinacionais. Já para o varejo, é uma oportunidade ímpar de buscar diferenciais, aprender sobre tendências e ampliar o leque de fornecedores", afirma o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (Agas), realizadora do evento, Antônio Cesa Longo.
Entre as novidades previstas para essa edição de 35 anos, o presidente da Agas adianta que serão 344 expositores de produtos, equipamentos e serviços para o varejo. "No ano passado, as empresas expositoras apresentaram cerca de 800 novidades durante os três dias de Expoagas, que foram desde novas embalagens até tecnologias para o setor. Neste ano, a expectativa é de que os fornecedores sigam apostando na grande vitrine que é a feira para trazer novidades aos visitantes", diz o dirigente.
O momento econômico não tira o otimismo da organização do evento. Segundo a Agas, em 2015 - quando o cenário também estava difícil - o público foi de 43 mil visitantes e crescimento de 11% nos negócios. Longo diz que é justamente em períodos de crise que o varejista precisa estar ainda mais atento às novidades e buscar mais do que nunca produtos, serviços e conhecimentos que possam diferenciá-lo no mercado. Por isso, ele aposta em mais uma edição de sucesso.

Hora de enxugar os custos

Com 720 empresas associadas, a Agas conhece bem a realidade do setor. De acordo com o presidente Antônio Cesa Longo, como o período dificulta o crescimento de vendas, está ocorrendo uma readequação para buscar o enxugamento dos custos. "O consumidor precisa estar preparado para um novo modelo de supermercado, com mais autosserviço e autonomia. O enxugamento de custos é uma realidade, e o supermercado de sucesso é aquele que conseguir reduzir despesas sem prejudicar sua operação", diz o empresário.
O grande desafio dos supermercadistas, no entanto, é reduzir custos e manter a qualidade do atendimento, requisito fundamental para atender um consumidor cada vez mais exigente. "Esta é a grande equação a ser definida, mas é um diagnóstico que precisa ser feito por cada empresa", comenta Longo. Segundo ele, as reduções vão desde o combate às perdas e quebras em produtos perecíveis, até o controle do estoque, passando pela eficiência total em todos os setores. "A eficiência energética, por exemplo, é outro grande gargalo que o setor precisa solucionar", observa.
O dirigente supermercadista explica que um supermercado deve ser tratado como vários negócios: a padaria é um negócio, o açougue é outro, o setor de hortifruti é outro, e assim com todas as seções. Para Longo, a eficiência precisa ser alcançada em cada subnegócio e, para isso, não existe fórmula pronta. "Demitir pode ser necessário, mas contratar também. É uma avaliação que cada empresa precisa fazer", completa.

Capacitação para melhorar a gestão e foco no Interior

Longo ressalta a escola itinerante que circula pelo interior do Estado levando cursos
Longo ressalta a escola itinerante que circula pelo interior do Estado levando cursos
JULIANE KESSLER/DIVULGAÇÃO/JC
Para ajudar os supermercadistas a enfrentarem os desafios econômicos e melhorar sua gestão, a Agas oferece dezenas de projetos de capacitação que, ao longo dos últimos 10 anos, capacitaram 43 mil pessoas em todo o Rio Grande do Sul. Os cursos ocorrem em Porto Alegre e no Interior do Estado em níveis gerenciais e operacionais, que contemplam toda a operação, do empacotamento à gestão da empresa. Atualmente, estão em andamento três turmas de gestores desenvolvendo semanalmente um treinamento em Porto Alegre e em Santa Maria. O objetivo é se qualificar para as novas necessidades do mercado. Somente no primeiro semestre de 2016, mais de 1,8 mil profissionais do setor passaram por cursos de capacitação.
Além dos programas voltados à qualificação profissional, outra meta da gestão de Antônio Longo à frente da entidade é a interiorização. "Entendemos que uma entidade só é verdadeiramente forte se ela tiver representatividade no Interior. Hoje, contamos com 56 diretores e representantes da Agas nos mais diversos municípios gaúchos", comemora o presidente. Os delegados regionais são responsáveis por avaliar a necessidade de cursos, jantares de negócios e outras demandas locais do setor e constroem, junto com a entidade, o cronograma de atividades da Agas e as reivindicações que serão levadas ao poder público.
A entidade também conta com uma escola itinerante que, montada em uma carreta, circula pelo Interior do Estado levando cursos. "Com ela, levamos a Agas semanalmente às pequenas cidades, oferecendo treinamento e capacitação", afirma Longo.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia