Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 29 de junho de 2016. Atualizado às 16h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

29/06/2016 - 16h30min. Alterada em 29/06 às 16h30min

Bolsas da Europa sobem pelo segundo dia seguido; Londres apaga perdas do Brexit

As principais índices acionários da Europa fecharam a sessão desta quarta-feira, 29, em alta pelo segundo dia seguido, com Londres e Madri encerrando o pregão nas máximas do dia. Os ganhos de hoje refletem a calma dos investidores após dois dias de intensas quedas que sucederam a decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 3,09%, aos 326,49 pontos.
Na sexta e na segunda-feira, o mercado de ações sofreu perdas históricas - com alguns bancos chegando a cair mais de 23% -, devido ao resultado do plebiscito realizado no Reino Unido, que mostrou que 51,9% dos britânicos desejam sair da União Europeia. Ontem, no entanto, os índices voltaram a entrar no campo positivo, com investidores aproveitando as quedas recentes para procurar barganhas.
O principal índice da Bolsa de Londres, o FTSE 100, ganhou força nos minutos finais do pregão desta quarta-feira e fechou o dia na pontuação máxima da sessão, aos 6.360,06 pontos, com valorização de 3,58%. Os ganhos de hoje fizeram o índice anular as perdas registradas desde sexta. Com os preços do petróleo em trajetória ascendente, companhias ligadas a energia e mineradoras estiveram entre as maiores altas, bem como as construtoras. A Barratt Developments subiu 7,27%, enquanto a Taylor Wimpey avançou 8,93%.
Em Paris, o CAC 40 fechou em alta de 2,60%, aos 4.195,32 pontos, liderado pelas blue-chips ligadas ao petróleo e outras commodities. A Technip avançou 4,77% , enquanto a ArcelorMittal subiu 4,59%. No entanto, as ações de montadoras continuam a amargar quedas, com a Peugeot recuando 1,12%.
Na Alemanha, o índice DAX, de Frankfurt, subiu aos 9.612,27 pontos, em alta de 1,75%. Entre os destaques positivos estão a E.On, que subiu 4,95%, e a RWE, com avanço de 4,57%.
Em Milão, o FTSE Mib fechou em alta de 2,21%, aos 15.946,93 pontos. Os bancos reduziram os ganhos na segunda parte da sessão e o Banca Monte dei Paschi di Siena chegou a fechar em queda de 2,87%. No entanto, outras instituições financeiras apresentaram ganhos, como o Intesa Sanpaolo, que subiu 1,48%, e o UniCredit, que avançou 2,50%.
O índice Ibex 35, de Madri, fechou na máxima do dia, aos 8.105,30 pontos, avançando 3,45%. Dentre os maiores ganhos de hoje estão a Repsol, que subiu 7,38%, e a Telefonica, com alta de 6,26%.
Em Portugal, o PSI 20, de Lisboa subiu 1,87% e fechou aos 4.440,02 pontos. A Energias de Portugal avançou 4,17%, enquanto a Galp Energia subiu 3,41%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia