Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de junho de 2016. Atualizado às 18h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

28/06/2016 - 18h16min. Alterada em 28/06 às 18h16min

Em dia de recuperação, Ibovespa fecha em alta de 1,55%

Depois de dois dias de fortes perdas, os investidores do mercado de ações dedicaram esta terça-feira (28), à busca por boas oportunidades de compra. Com isso, o dia foi de recuperação de preços no Brasil, que acompanhou o movimento das bolsas na Europa e nos Estados Unidos. O resultado foi uma alta de 1,55% do Índice Bovespa (50.006,56 pontos), que recompôs parte dos 4,49% perdidos nos dois pregões posteriores ao plebiscito que decidiu sobre a saída do Reino Unido da União Europeia.
"Hoje foi claramente um dia de repique, quando os preços chegam a um determinado nível que favorece uma recuperação, por terem caído demais. É uma busca por pechinchas", disse Raphael Figueredo, analista da Clear Corretora. "Mas esse alívio está longe de apontar para uma solução, pois o Brexit é um evento inédito no mundo e o mercado ainda precisará de muito estudo para avaliar os efeitos", disse o analista.
A recuperação teve início nas bolsas da Europa, que haviam sofrido pesadas quedas desde sexta-feira, quando foi anunciado o resultado do plebiscito britânico. O índice pan-europeu Stoxx 600, subiu 2,57%. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 2,64%. Em Frankfurt, o índice DAX avançou 1,93%. A alta se estendeu ao mercado americano, que também havia sido penalizado nos últimos pregões, ainda que em proporções bem menores.
Assim como aconteceu no exterior, as ações que mais influenciaram a alta do Ibovespa foram justamente as que vinham conduzindo as quedas desde o Brexit. Assim, bancos, responsáveis por mais de 25% da composição do Ibovespa, voltaram a se destacar. Itaú Unibanco PN subiu 3,50%, Bradesco PN avançou 2,47% e Santander Unit ganhou 1,11%.
O alívio no mercado internacional também favoreceu a recuperação de preços das commodities, tendo o petróleo como destaque. Petrobras e Vale estiveram em destaque mais uma vez, mas agora em terreno positivo. O petróleo fechou em alta de 3,28% na bolsa de Nova York e de 3,01% na de Londres. Com isso, Petrobras ON e PN fecharam com ganhos de 4,17% e 4,78%, respectivamente. Vale ON (+4,46%) e Vale PNA (4,75%) acompanharam as altas do minério de ferro nos últimos dois dias, além da recuperação de outras mineradoras pelo mundo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia