Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 28 de junho de 2016. Atualizado às 17h56.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

indústria automotiva

28/06/2016 - 17h57min. Alterada em 28/06 às 17h57min

Volks pagará até US$ 14,7 bi para encerrar investigação sobre emissões nos EUA

A Volkswagen decidiu pagar até US$ 14,7 bilhões para encerrar a acusação de que teria fraudado testes de emissão de gases de quase 500 mil veículos a diesel nos Estados Unidos.
De acordo com os documentos do processo, o montante inclui até US$ 10,03 bilhões para cobrir questionamentos legais de donos de veículos afetados, outros US$ 2,7 bilhões para um fundo de Remediação ambiental e mais US$ 2 bilhões para serem investidos na promoção de veículos com emissão zero.
Esta é o maior acordo atingido em um processo do tipo, que envolve o Departamento de Justiça, a Agência de Proteção Ambiental, a Comissão Federal de Comércio e órgãos reguladores da Califórnia. A decisão não envolve outras possíveis queixas civis ou criminais que podem ser levantadas mais tarde pelo Departamento de Justiça.
Todos os compradores dos veículos afetados devem seguir regras determinadas para receber a compensação, que varia entre US$ 5,1 mil e US$ 10 mil, por terem adquirido, entre 2009 e 2015, modelos de Jettas, Passats, Beetles, Golfs e Audis A3.
O acordo deve ser apreciado pelo juiz Charles Breyer no final de julho, o que pode levar a uma aprovação preliminar. Caso tudo ocorra dentro do planejado, a Volkswagen pode começar a adquirir os veículos daqueles que desejam se livrar deles já em outubro.
Paralelamente, a montadora enfrenta outra queixa por parte de proprietários de cerca de 85 mil automóveis de luxo, a maioria da marca Audi e Porsche, e também uma ação criminal, que pode resultar em uma pesada multa. Uma outra ação corre na Europa, envolvendo outros 2,7 milhões de veículos afetados. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia