Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de junho de 2016. Atualizado às 11h49.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

24/06/2016 - 11h47min. Alterada em 24/06 às 11h49min

Bovespa cai mais de 2,0% com Brexit

A Bovespa acompanha outros mercados acionários globais e opera em queda de mais de 2,0% desde a abertura, em um dia de aversão ao risco depois da vitória do Brexit no plebiscito concluído na madrugada desta sexta-feira (24). Também houve o início dos negócios em Wall Street, com o Dow Jones em declínio de 2,37%, o S&P 500 em baixa de 2,44% e o Nasdaq, recuo de 2,76%.
Líderes de todo o mundo se posicionam em relação à perspectiva de saída do Reino Unido da União Europeia e os ativos seguem se ajustando à decisão dos britânicos.
Analistas do JPMorgan projetam que os efeitos do "Brexit" no mercado serão duradouros, por conta da incerteza criada com a votação. Para os economistas do banco de investimento Brown Brothers Harriman (BBH), o mercado não estava posicionado para a saída, claramente apostando que os britânicos fossem votar pela permanência. Por isso, hoje os ajustes nas carteiras dos investidores, que já começaram fortes, vão continuar assim ao longo do dia.
Por aqui, o Ibovespa recuava 2,62% por volta das 11 horas, aos 49.886,91 pontos, em uma manhã de perdas generalizadas. Petrobras ON e PN tinham desvalorização de 5,31% e 4,96%. Vale ON e PNA exibiam perda de 6,93% e 5,90%.
No setor financeiro, as units do Santander tinham o maior declínio entre os grandes bancos, de 4,58%; Itaú Unibanco PN cedia 2,67%, BB ON recuava 3,21% e Bradesco PN, tinha declínio de 3,34%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia