Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 24 de junho de 2016. Atualizado às 00h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Telefonia

Notícia da edição impressa de 24/06/2016. Alterada em 24/06 às 00h20min

Oi diz a juiz que era ameaçada por 'fundos abutres'

A operadora de telefonia Oi afirmou na Corte de Nova Iorque que vinha sendo ameaçada por hedge funds dos Estados Unidos, como a Capricorn Capital, que pertence à gestora Aurelius, a mesma que comprou briga judicial com a Argentina. Muitas dessas carteiras são especializadas em comprar papéis de empresas e governos com problemas para lucrar com litígios na Justiça.
A companhia diz em seu pedido de proteção contra credores, o Chapter 15, autorizado no dia 22 pelo juiz Michael Wiles em Nova Iorque, que vinha sendo alvo de "certos hedge funds" desde o final de 2015. Em março, o Capricorn abriu um litígio contra a empresa na Holanda. A Oi afirma que tem "conversas produtivas" desde março com detentores de bônus que representam 27% dos credores e que espera que as discussões avancem na Corte brasileira. Apesar dessas conversas, a Oi menciona que vem sendo alvo dos fundos de hedge e de ameaças de novas ações.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia