Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 23 de junho de 2016. Atualizado às 14h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

23/06/2016 - 14h23min. Alterada em 23/06 às 14h23min

Bolsas da Europa fecham em alta em dia de votação do Brexit

Os principais índices acionários da Europa fecharam em alta na sessão desta quinta-feira, dia de votação do plebiscito que decidirá se o Reino Unido fica ou sai da União Europeia. Os ganhos vêm desde cedo, com destaque positivo para os bancos europeus como um todo. O índice pan-europeu Stoxx 600 encerrou o pregão em alta de 1,47%, aos 346,64 pontos.
O bom humor dos mercados é justificado por quatro pesquisas de intenção de voto favoráveis à permanência do Reino Unido na UE, ainda que os resultados mostrem uma disputa acirrada. Um dos levantamentos, do instituto Ipsos Mori, mostrou que 52% dos britânicos deve votar contra a saída, ante 48% favoráveis ao Brexit. O resultado final do plebiscito deve ser divulgado nessa madrugada.
Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em alta de 1,23%, aos 6.338,10 pontos, com todos os setores apresentando ganhos. O Lloyds Banking Group subiu 2,27% com o otimismo do mercado, enquanto o Barclays avançou 2,72%. O HSBC e o Royal Bank of Scotland também tiveram alta, fechando em +2,35% e +1,58%, respectivamente.
O índice DAX, de Frankfurt, encerrou o pregão em alta de 1,85%, aos 10.257,03 pontos. Destaque para as ações da distribuidora de energia RWE, que subiu 3,06%, e para os bancos Commerzbank e Deutsche Bank, que subiram 4,21% e 3,22%, respectivamente. Os papéis da Thyssenkrupp também tiveram fortes ganhos e fecharam em alta de 5,07%.
Em Milão, o FTSE Mib teve o maior avanço diário em mais de dois meses e fechou em alta de 3,71%, aos 17.966,17 pontos, na máxima do dia. Entre as 10 ações que apresentaram maior alta, nove são de bancos, com destaque para o Unicredit, que subiu 7,24%, e para o Intesa Sanpaolo, que avançou 4,93%.
Em Paris, o CAC 40 subiu 1,96%, fechando aos 4.465,90 pontos. A ação da ArcelorMittal foi uma das que mais avançaram no índice, subindo 6,04%. Entre os bancos, o Credit Agricole avançou 4,06% e o BNP Paribas ganhou 2,88%.
O Ibex 35, de Madri, avançou 2,11%, aos 8.885,30 pontos. Assim como nas outras bolsas, os bancos puxaram o índice, com destaque para o Santander, que subiu 4,30%, e o Banco de Sabadell, com avanço de 3,10%.
Em Lisboa, o PSI 20 fechou aos 4.689,96 pontos, com alta de 1,49%. O Banco Comercial Português foi uma das empresas que mais subiram, fechando em alta de 3,54%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia