Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de junho de 2016. Atualizado às 16h32.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

estatística

22/06/2016 - 16h33min. Alterada em 22/06 às 16h33min

Novo presidente do IBGE sugere criação de frente parlamentar de estatística

O presidente do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Paulo Rabello de Castro, afirmou nesta quarta-feira (22) que a atuação do órgão dá uma importante contribuição à democracia, uma vez que a informação "é um bem público", e defendeu a criação de uma frente parlamentar de estatística. "O IBGE é um remédio para democracia sem eficiência", afirmou Castro durante cerimônia de posse no Palácio do Planalto.
"Estamos representando essa instituição, que contribui para a construção e consolidação da democracia, que está comemorando 80 anos de uma longa e profícua existência", disse o presidente do IBGE. "A tarefa é grandiosa", complementou.
Rabello de Castro sugeriu ainda a criação de uma frente parlamentar de estatística, que poderia levar o IBGE a dar contribuições também ao campo político. "Já combinei, entre idas à Câmara e ao Senado, para que a gente possa dar apoio, para que contem com o IBGE para começar quem sabe uma frente parlamentar de estatística", disse.
O novo presidente do instituto disse ainda que Wasmália Bivar, que estava no posto até então, vai permanecer nos quadros do IBGE, onde fez sua carreira. Wasmália também vai continuar na presidência da Comissão de Estatísticas da Organização das Nações Unidas (ONU), posto assumido pelo Brasil (por meio do IBGE) em março deste ano.
Rabello Castro foi elogiado pelo presidente em exercício Michel Temer, de quem é próximo, por sua formação "intelectual, cultural e política".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia