Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de junho de 2016. Atualizado às 00h04.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Notícia da edição impressa de 22/06/2016. Alterada em 21/06 às 20h44min

IED atinge maior nível desde a crise de 2008

Fusões movimentaram US$ 721 bilhões no ano passado, segundo relatório da Unctad

Fusões movimentaram US$ 721 bilhões no ano passado, segundo relatório da Unctad


VANDERLEI ALMEIDA/AFP/JC
Os Investimentos Estrangeiros Diretos (IED) no mundo avançaram 38% em 2015 e chegaram a US$ 1,76 trilhão, no maior nível desde a crise de 2008, segundo os dados da Conferência das Nações Unidas para Comércio e Desenvolvimento (Unctad). O resultado foi influenciado principalmente por um salto nas fusões e aquisições entre fronteiras, puxado por reorganizações de empresas multinacionais, incluindo transferência de domicílio fiscal, por razões estratégicas e em busca de menores impostos. O montante quase dobrou, de US$ 432 bilhões para US$ 721 bilhões.
"Um salto de 38% no fluxo, para US$ 1,76 trilhão, dá esperança que o investimento estrangeiro direto global está enfim voltando a uma trajetória de crescimento, mas ainda não passamos do período crítico", apontou o secretário-geral da Unctad, Mukhisa Kituyi.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia