Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 21 de junho de 2016. Atualizado às 09h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

21/06/2016 - 09h20min. Alterada em 21/06 às 09h20min

Banco Central da Hungria mantém principal taxa de juros em 0,90%

O Banco Central da Hungria manteve sua taxa básica de juros no recorde mínimo de 0,90%, em um esforço para impulsionar os preços e o crescimento econômico. Além disso, o BC manteve a taxa de depósito no overnight em -0,05%. O BC da Hungria também manteve sua taxa de empréstimo overnight, a 1,15%.
Em março, o BC húngaro surpreendeu ao cortar os juros, após manter as taxas durante sete meses seguidos. A taxa básica estava em 1,35% antes da redução em março e recuou de 7,0% em agosto de 2012, quando começou um ciclo de relaxamento monetário no país.
A manutenção desta terça-feira veio em linha com a expectativa dos analistas ouvidos pelo Wall Street Journal. A taxa de depósito negativa foi adotada em março, o que fez da Hungria a primeira economia emergente a adotar taxa negativa.
A meta de inflação anual na Hungria é de 3% no médio prazo. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do país, porém, desacelerou 0,2% no ano em maio. O florim forte atrapalha os esforços do banco central para atingir sua meta de inflação.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia