Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de junho de 2016. Atualizado às 22h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura internacional

Notícia da edição impressa de 21/06/2016. Alterada em 20/06 às 20h06min

FMI pede para que BoJ tranquilize os mercados sobre flexibilização

O Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) deve tranquilizar os mercados que continuará com medidas de flexibilização agressiva até que ele realmente atinja sua meta de inflação de 2%, mesmo se ele não conseguir atingir a sua própria previsão de quanto essa meta será alcançada, disse ontem David Lipton, primeiro vice-diretor do Fundo Monetário Internacional (FMI).
Autoridades do FMI temem que a comunicação do banco central com os mercados poderia ficar complicada, uma vez que as datas estipuladas para atingir a meta se aproximam, enquanto a inflação continua abaixo de 2%. O BoJ disse recentemente que a meta de inflação de 2% deverá ser alcançada entre abril de 2017 e março de 2018, em comparação com uma meta anterior entre abril de 2017 e setembro de 2017. Esta foi a quarta vez em um ano que o BoJ postergou a data para atingir a meta.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia