Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de junho de 2016. Atualizado às 17h38.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

20/06/2016 - 17h38min. Alterada em 20/06 às 17h38min

Petróleo fecha em alta com dólar enfraquecido e menor chance de Brexit

Os contratos futuros de petróleo fecharam em alta na sessão desta segunda-feira (20) com o barril do Brent negociado em Londres ultrapassando a barreira dos US$ 50 em dia de fortes ganhos nos índices acionários globais. O bom humor do mercado é uma reação às últimas pesquisas sobre a votação que decidirá se Reino Unido sairá ou não da União Europeia, que indicaram um enfraquecimento da opção pelo sim. Além disso, a queda do dólar frente a algumas moedas também contribuiu para o avanço do petróleo.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o barril para agosto, que se tornou o contrato mais líquido, fechou em alta de 2,88% (+US$ 1,40), aos US$ 49,96 por barril. O contrato para julho, que vence amanhã, subiu 2,89% (+US$ 1,39), aos US$ 49,37 por barril. Já em Londres, o Brent para agosto encerrou a sessão com valorização de 3,00% (+US$ 1,48), a US$ 50,65 por barril.
No fim de semana foram publicadas diversas pesquisas de opinião a respeito do Brexit, cujos resultados mostraram uma leve vantagem do voto por permanecer na União Europeia. Com isso, o apetite pelo risco foi estimulado de forma generalizada e resultou numa forte alta das bolsas na Europa e num enfraquecimento do dólar, que costuma significar bom sinal para as commodities.
Apesar de analistas dizerem que um possível Brexit teria impacto direto no petróleo, o mercado como um todo poderia sofrer um efeito colateral. Neste caso, uma possível turbulência poderia piorar o apetite por ativos mais arriscados, como as commodities. O petróleo também poderia ser afetado por uma alta do dólar, já que analistas esperam que a divisa suba em caso de Brexit.
"Se houver o Brexit, a pressão negativa nos preços do petróleo seria comandada por aversão ao risco", afirmou o analista-chefe de petróleo no Société Generale, Michael Wittner. De acordo com ele, os preços do petróleo podem cair até 5% caso o Reino Unido opte por sair da União Europeia, mas essas quedas seriam temporárias.
O plebiscito que decidirá o futuro do Reino Unido em relação à União Europeia acontece na próxima quinta-feira. Fonte: Dow Jones Newswires
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia