Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 20 de junho de 2016. Atualizado às 16h41.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Indústria

20/06/2016 - 16h42min. Alterada em 20/06 às 16h42min

CNI: ritmo de recuo da atividade da indústria da construção está menos intenso

A atividade da indústria da construção continua em queda, mas o ritmo de recuo foi menos intenso no mês de maio, segundo a pesquisa Sondagem Indústria da Construção, divulgada nesta segunda-feira, 20, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O índice de evolução do nível de atividade atingiu 40,1 pontos em maio ante 36,4 pontos em abril. Os indicadores da pesquisa variam de zero a 100 pontos, sendo que abaixo de 50 os indicadores são negativos e indicam retração na atividade e no emprego.
De acordo com a pesquisa, a Utilização da Capacidade de Operação (UCO) passou de 54% para 56%, apresentando ligeira melhora. Mesmo assim, destaca a CNI, o indicador ainda está 12 pontos porcentuais abaixo da média para o mês.
O indicador de evolução do número de empregados apresentou uma pequena melhora em maio, apesar de continuar em queda. O índice passou de 35,7 pontos em abril para 38,1 pontos em maio. "Embora os dados indiquem um quadro de retração na indústria da construção, o cenário tem se tornado menos adverso", destaca a CNI.
A sondagem avalia também as expectativas do setor para os próximos meses e revela que os empresários parecem estar mais dispostos a investir, embora a intenção permaneça baixa. Pela primeira vez em três meses, o indicador que mede a intenção de investimento registrou alta, de 23,2 pontos em maio para 26,9 pontos em junho.
Com relação à expectativa do nível de atividade, o indicador passou de 40,6 pontos em maio para 44,6 pontos em junho. O índice que mede a expectativa com relação ao número de empregados passou de 38,4 pontos para 42,3 pontos no mesmo período de comparação.
A CNI ressalta que, apesar de terem registrado aumento, os indicadores ainda estão abaixo da linha dos 50 pontos, o que indica expectativa de queda.
A pesquisa foi feita entre os dias 1º e 13 de junho com 577 empresas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia