Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 16 de junho de 2016. Atualizado às 09h00.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

16/06/2016 - 09h00min.

Cobre passa por realização de lucros e recua em meio a queda do petróleo

Os futuros de cobre operam em queda acentuada nesta quinta-feira (16) em meio a uma realização de lucros após forte alta na sessão anterior, seguindo ainda a retração do petróleo. Além disso, notícia de que a China iria cortar o excesso de capacidade também contribui para as perdas.

Na London Metal Exchange (LME), o cobre para três meses caía 2,13%, a US$ 4.546 a tonelada, perto das 8h30min (de Brasília). Na Comex, divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho tinha queda de 2,34%, a US$ 2,0420, às 8h35min.

Além da realização de lucros, a queda do cobre reflete também a desvalorização do petróleo, uma vez que ambos fazem parte de uma cesta de commodities. Os mercados acionários globais também seguem em tendência de queda, após o Banco do Japão (BoJ) não anunciar medidas adicionais de estímulos. Analistas dizem que as preocupações com ma votação britânica sobre a permanência ou saída do Reino Unido da União Europeia também está agitando os mercados.

Outra notícia que tem impactado o metal é um relatório confirmando que a China, maior consumidor do mundo do metal, iria aumentar os estoques de metais básicos e cortar o excesso de capacidade, de acordo com o Commerzbank AG.

Entre outros metais negociados na LME, o alumínio caía 1,26%, a US$ 1.606,00 a tonelada, o zinco recuava 1,38%, a US$ 2.007,00 a tonelada, o níquel tinha queda de 1,67%, a US$ 8.820,00 a tonelada, o chumbo perdia 0,65%, a US$ 1.686,00 a tonelada, enquanto o estanho registrava acréscimo de 0,44%, a US$ 16.980 a tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia