Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 15 de junho de 2016. Atualizado às 19h20.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

15/06/2016 - 19h20min. Alterada em 15/06 às 19h20min

Dólar recua após decisão do Fed de manter taxa de juros

O dólar renovou mínimas na sessão desta quarta-feira (15), influenciado pela decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) de manter os juros dos Fed Funds inalterados, na faixa de 0,25% a 0,50%. O sinal mais "dovish" (suave)da autoridade monetária fortaleceu as moedas emergentes, bem como o euro e o iene, frente à divisa norte-americana.
No fim da tarde em Nova Iorque, o euro avançava a US$ 1,1257, de US$ 1,1206 de ontem, enquanto o dólar caía a 106,00 ienes, de 106,17. Entre as moedas de países emergentes, o dólar caiu para 6,5858 yuans, de 6,5966 yuans ontem.
Boa parte dos dirigentes do Fed agora vê a possibilidade de apenas uma elevação de juros neste ano, sinalizando que o baixo crescimento econômico dos EUA e a inflação podem estar nas mãos do banco central. Taxas de juros baixas por muito tempo fazem pressão sobre o dólar, tornando a divisa menos atrativa para investidores que buscam lucro.
"A declaração do Fed apagou as chances de qualquer alta de juros em julho", disse Omer Esiner, analista-chefe de mercado na Commonwealth Foreign Exchange. "O dólar continuará sendo confrontado com uma perspectiva dovish do Fed, que limita a alta da moeda".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia