Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de junho de 2016. Atualizado às 19h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

14/06/2016 - 19h47min. Alterada em 14/06 às 19h47min

Bolsas de NYC fecham em queda em dia de aversão ao risco e queda do petróleo

As bolsas de valores dos Estados Unidos recuaram nesta terça-feira (14), pela quarta sessão seguida, na maior série de perdas para o S&P 500 e para o índice Dow Jones desde fevereiro. A sessão foi marcada pela aversão ao risco por parte dos investidores na véspera da decisão de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte americano) e em um dia de queda do petróleo.
Wall Street recebeu uma dose de otimismo com a divulgação de dados positivos sobre as vendas no varejo nesta manhã, mas os números não foram capazes de ofuscar a ansiedade causada pela reunião do Fed e pela possibilidade de o Reino Unido de desvincular da União Europeia. Os britânicos votam em um plebiscito para decidir o futuro da nação na próxima semana.
As vendas no varejo norte-americano subiram 0,5% em maio na comparação com o mês anterior, para o total sazonalmente ajustado de US$ 455,64 bilhões, informou nesta terça-feira o Departamento do Comércio. Economistas ouvidos pelo Wall Street Journal esperavam alta menor, de 0,3%. As vendas de abril não foram revisadas e assim continuaram a mostrar avanço mensal de 1,3%, o ritmo mais forte desde março de 2015.
O índice Dow Jones, no entanto, fechou em queda de 0,33% (-57,66 pontos), aos 17.674,82 pontos; o S&P 500 recuou 0,18% (-3,74 pontos), para 2.075,32 pontos; e o Nasdaq recuou 0,10% (-4,89 pontos), para 4.843,55 pontos.
Os setores que mais pressionaram as bolsas foram o financeiro e o energético. O Bank of America caiu 2,43% e o Goldman Sachs Group perdeu 1,59%.
As petroleiras, por sua vez, sentiram o baque da queda da commodity e também recuaram. O petróleo WTI para julho fechou em queda de 0,79% (-US$ 0,39), a US$ 48,49 por barril na New York Mercantile Exchange (Nymex). Na Intercontinental Exchange (ICE), o Brent para agosto recuou 1,03% (US$ 0,52), para US$ 49,83 por barril.
Como resultado, a Chevron viu seus papéis recuarem 0,80% e a Exxon Mobil perdeu 0,18%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia