Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 14 de junho de 2016. Atualizado às 11h18.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

conjuntura

14/06/2016 - 11h10min. Alterada em 14/06 às 11h18min

PIB do Rio Grande do Sul recua 4,3% no 1° trimestre de 2016

O desempenho da economia gaúcha no 1° trimestre de 2016 recuou 4,3%, ante recuo de 6,4% no último trimestre do ano passado. Graças ao desempenho total da indústria, a queda no crescimento foi menor que a nacional, de -5,4%. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (14) pela Fundação de Economia e Estatística do Estado (FEE), e apontam que, no acumulado do ano e nos últimos quatro trimestres, o PIB do Rio Grande do Sul continua crescentemente negativo.
A queda menor da economia do Estado, comparada à do Brasil, reflete uma retração menos acentuada da indústria gaúcha do que da brasileira. A indústria no Estado caiu 6,3% neste trimestre e 12,4% no 4º trimestre de 2015. O recuo menos acentuado veio do desempenho das exportação na indústria de transformação, que cresceu 16,4% no período.
Já na agropecuária, segmento que vinha sustentando melhores resultados, a queda foi significativa. O mal desempenho do setor foi influenciado sobretudo pelas condições climáticas, que prejudicaram tanto os períodos de plantio quanto de colheita. O excesso de chuvas fez com que a produção do arroz, principal cultura agrícola do período, tivesse as maiores perdas.
No setor serviços, o comércio diminuiu sua queda, de -8,4% no trimestre contra -12,9% no 4° trimestre de 2015. O destaque negativo ficou, novamente, com a comercialização de veículos, motocicletas, partes e peças, que caiu 28,1%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia