Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 13 de junho de 2016. Atualizado às 20h03.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

13/06/2016 - 20h03min. Alterada em 13/06 às 20h03min

Bolsas fecham em baixa em Nova Iorque, pressionadas por Brexit e Fed

Os principais índices acionários de Nova Iorque fecharam em queda pela terceira sessão seguida, com o Dow Jones e o S&P 500 atingindo o menor nível desde 24 de maio. A aversão ao risco foi causada por ansiedade em relação à reunião de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), que termina na quarta-feira, e pelo medo que os impactos de uma saída do Reino Unido da União Europeia (apelidada de Brexit) possam causar nos mercados.
O índice Dow Jones fechou em queda de 132,86 pontos (-0,74%), aos 17.732,48 pontos. O Nasdaq, por sua vez, recuou 46,11 pontos (-0,94%), para 4.848,44 pontos. Já o S&P 500 teve baixa de 17,01 pontos (-0,81%), a 2.079,06 pontos.
"A aversão ao risco começou na China, se alastrou pela Europa, com o Brexit, e depois espirrou nos Estados Unidos", afirmou Karyn Cavanaugh, estrategista sênior de mercado no Voya Financial. "Não há nada que dará ao mercado o impulso que ele precisa, e os investidores vão precisar se acostumar com isso por algum tempo."
Enquanto o medo do Brexit mexeu com os mercados, uma notícia do setor de tecnologia pegou os investidores de surpresa: a Microsoft anunciou que planeja comprar o LinkedIn por US$ 26,2 bilhões. As ações da rede social subiram 46,64%, enquanto as da Microsoft recuaram 2,60%. No entanto, o negócio não foi suficiente para impactar o mercado.
"A notícia da Microsoft teve efeitos positivos, mas preocupações com o Fed e o Brexit vão continuar fazendo o mercado operar de lado", disse Mark Kepner, diretor de vendas na Themis Trading.
A decisão de política monetária do Fed será divulgada na quarta-feira desta semana, enquanto o plebiscito que vai decidir o Brexit acontece no próximo dia 23.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia