Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de junho de 2016. Atualizado às 09h40.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

09/06/2016 - 09h40min.

Cobre recua pressionado por dólar forte e aumento nos estoques na LME

Os preços do cobre recuam nesta manhã, pressionados pelo fortalecimento do dólar e pelo aumento nos estoques na London Metal Exchange (LME).

Por ser cotado na moeda americana, o avanço do dólar em meio a novas incertezas sobre futuro da economia global encarece as matérias-primas para os investidores que operam outras divisas.

Na LME, o cobre para três meses era negociado em queda de 0,20%, a US$ 4.571 por tonelada. Na Comex, a divisão de metais da New York Mercantile Exchange (Nymex), o cobre para julho caía 0,61%, para US$ 2,0490 por libra-peso.

A pressão era reforçada pelo aumento dos estoques na LME, que segundo Robin Bhar, do Société Générale, estão acima de 200 mil toneladas. "Isso significa que a demanda está parada", diz Bhar.

Entre outros metais negociados na LME, o alumínio subia 0,09%, para US$ 1.596,50 por tonelada; o zinco caía 0,51%, para US$ 2.064,50 por tonelada; o níquel baixava 0,17%, para US$ 8.975 por tonelada; o chumbo subia 0,61%, para US$ 1.743,50 por tonelada; o estanho caía 0,12%, a US$ 17.075 por tonelada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia