Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de junho de 2016. Atualizado às 08h31.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

09/06/2016 - 08h32min.

Petróleo recua, mas permanece acima de US$ 50 por barril

Os preços do petróleo operam em queda nesta manhã, pressionado pelo fortalecimento do dólar. A commodity, no entanto, permanece acima de US$ 50 por barril e perto da máxima em 10 meses, diante da queda nos estoques nos EUA e dos cortes de produção recentes.

Por volta das 8h15min (de Brasília), o WTI para julho negociado na New York Mercantile Exchange (Nymex) caía 0,84%, para US$ 50,80 por barril, enquanto o Brent na Intercontinental Exchange (ICE) tinha retração de 0,99%, a US$ 51,99 por barril.

Os investidores aguardam sinais do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) sobre a possibilidade de elevação de juros em julho ou setembro, já que um aumento na reunião de política monetária da próxima semana foi praticamente descartado. Juros mais altos podem impulsionar o dólar e tornar o petróleo - que é cotado na moeda - menos atrativo para os investidores que operam outras divisas.

"Esperamos que os estoques de petróleo ensaiem uma aceleração nos próximos meses", disse o Credit Suisse em relatório. "Continuamos muito otimistas com o consumo de gasolina pelos americanos."

A queda nos estoques de petróleo nos EUA tem animado os investidores, informou a corretora PVM, acrescentando que os preços ainda recebem suporte das interrupções na produção nigeriana, a maior da África. Vários ataques a oleodutos e refinarias na Nigéria reduziram a produção diária de petróleo em cerca de 1 milhão de barris.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia