Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 09 de junho de 2016. Atualizado às 08h15.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

09/06/2016 - 08h15min.

Tóquio fecha em queda com iene forte e cautela antes de eventos importantes

A Bolsa de Tóquio fechou em queda nesta quinta-feira (9) em meio a contínua valorização do iene, cautela com acontecimentos políticos importantes nas próximas semanas no Japão e no Reino Unido e preocupação com a recuperação econômica dos EUA.

O Nikkei, índice que reúne as empresas mais negociadas na capital do Japão, caiu 1,00%, a 16.668,41 pontos.

A queda do dólar em relação ao iene reflete ainda a percepção de que o Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) não deverá elevar os juros tão cedo. "Nós continuamos a ver uma onda de vendas de dólar", disse Toshiyuki Umekawa, vice-presidente sênior da divisão de câmbio do Mizuho Bank. "Dadas as incertezas futuras decorrentes, em parte, a partir do referendo que poderá levar a uma saída do Reino Unido da União Europeia, os investidores optam por comprar iene [considerado um ativo de segurança]", acrescentou.

"Mas, dada a falta de sinais de negociação específicas, não estamos vendo uma rápida força do iene. Ele está se fortalecendo lentamente", disse Umekawa.

Diante do iene forte, as ações de empresas exportadoras e financeiras foram penalizadas. Entre as maiores quedas, destaque para as ações das montadoras Toyota e Nissan, com queda de 1,37% e 2,50%, respectivamente. Papéis de financeiras também recuaram acentuadamente, com a ação do Mitsubishi UFJ Financial Group encerrando em queda de 3,3%.

Eventos importantes nas próximas semanas também pesaram no humor dos investidores. Nos dias 15 e 16 de junho, dirigentes do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês) se reúnem para a reunião de política monetária. O mercado anseia por mais medidas de estímulos, mas teme que nada possa ser anunciado.

Além disso, muitos investidores também estão começando a se abster de apostas agressivas à frente de grandes acontecimentos políticos nas próximas semanas, incluindo o referendo do Reino Unido no final deste mês sobre a possibilidade de o país deixar a União Europeia e a eleição para a câmara alta do Parlamento japonês no dia 10 de julho.

Outro ponto que ainda preocupa é a recuperação da economia dos EUA, depois que o último relatório de emprego mostrou fraca criação de vagas em maio. Investidores apontam incertezas sobre o significado dos dados para a economia. "Você precisa ver o quadro principal antes de investir. Eu acredito que certa cautela continuará até a eleição presidencial nos EUA", disse Mitsushige Akino, administrador chefe de fundos na Ichiyoshi Asset Management.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia