Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de junho de 2016. Atualizado às 19h58.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

contas públicas

08/06/2016 - 19h58min. Alterada em 08/06 às 19h58min

Ainda sem acordo para a renegociação da dívida, Temer cancela reunião

Ainda costurando um acordo para a renegociação de dívidas dos Estados, o presidente em exercício, Michel Temer, decidiu cancelar a reunião que pretendia fazer nesta quinta, 9, com governadores no Palácio do Planalto. O encontro havia sido confirmado por diversos interlocutores do presidente em exercício.
A assessoria de imprensa do Planalto, entretanto, alega que a reunião não tinha sido agendada e amanhã, provavelmente, Temer receberá os governadores do Pará, Simão Jatene, e do Tocantins, Marcelo Miranda. Nesta quarta (8), o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, afirmou que veio se encontrar com Temer hoje "pois não poderia estar amanhã".
A renegociação das dívidas dos estados, que já ultrapassaram R$ 400 bilhões, ameaça se tornar uma nova bomba orçamentária para o governo. A ideia de Temer era aproveitar o encontro para pedir aos governadores que ajudem no controle dos gastos públicos, evitando novos aumentos de despesas. A justificativa usada por ele seria a de que o controle de gastos poderia ser mais um ingrediente para animar os empresários e o mercado externo em relação ao que poderá mudar na economia do País.
Segundo Sartori, Temer anunciou que "na próxima semana" deverá ter definição sobre negociação de dívidas dos estados e que agora está nas mãos do ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, a definição dos pontos do acordo final.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia