Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 08 de junho de 2016. Atualizado às 14h52.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Siderurgia

08/06/2016 - 14h52min. Alterada em 08/06 às 14h52min

IABr revê previsão de queda da produção de aço em 2016 de 1% para 6,8%

A crise no mercado interno e o excesso de estoque no mercado internacional levaram o Instituto Aço Brasil (IABr) a reduzir suas projeções para o nível de atividade do setor neste ano. As informações foram divulgadas nesta quarta-feira (8) durante entrevista à imprensa.
A nova estimativa para a produção de aço bruto no País em 2016 é de 31,0 milhões de toneladas, o que representa queda de 6,8% em relação a 2015. A projeção anterior, divulgada em fevereiro, era de uma queda mais leve, na ordem de 1,0%.
As vendas no mercado interno devem totalizar 16,3 milhões de toneladas no ano, recuo de 10,0% em relação ao ano passado. A previsão inicial era de baixa de 4,1%.
Já as exportações devem somar 13,0 milhões de toneladas em 2016, baixa de 5,2% em relação a 2015, o que representa uma inversão ante a estimativa anterior, que era de crescimento de 2,3% Em valores, as vendas externas devem atingir US$ 4,7 bilhões, contração de 28,8% na comparação anual. A estimativa feita em fevereiro pelo instituto era de expansão de 3,0%.
O consumo aparente de aço, por sua vez, deve somar 18,2 milhões de toneladas, queda de 14,4%. A previsão inicial era de baixa de 8,8%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia