Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 03 de junho de 2016. Atualizado às 10h23.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

fraude

03/06/2016 - 10h23min. Alterada em 03/06 às 10h23min

Operação da Polícia Federal foca contratos da Casa da Moeda

Um contrato da Casa da Moeda é alvo da Operação Esfinge, deflagrada nesta sexta-feira (3) pela Polícia Federal. A Casa da Moeda é uma empresa pública, vinculada ao Ministério da Fazenda. O faturamento desse contrato, nos últimos seis anos, ultrapassou a cifra de R$ 6 bilhões.
O contrato previa a instalação de equipamentos contadores nas linhas de produção de bebidas frias (cervejas, refrigerantes, sucos, águas minerais e outras) para atender ao Sistema de Controle de Produção de Bebidas (Sicobe), sistema gerido pela Casa da Moeda que registra, grava e transmite à Receita informações referentes à produção de bebidas no País, auxiliando no combate à sonegação fiscal.
A operação também foca um escritório de consultoria que recebeu R$ 70 milhões de uma empresa investigada por fraude à licitação na Casa da Moeda. O escritório teria recebido o valor sem prestar os serviços e, ainda, servido de fachada para intermediar pagamento de propina a outros envolvidos no esquema.
Os mandados de prisão preventiva e busca e apreensão estão sendo cumpridos em São Paulo e Brasília. As prisões foram decretadas contra um auditor fiscal da Receita e sua esposa, denunciados por crimes de corrupção ativa e passiva. Os nomes deles ainda não foram divulgados.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia