Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de dezembro de 2016. Atualizado às 15h39.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Patrícia Knebel

Mercado Digital

Notícia da edição impressa de 02/06/2016. Alterada em 27/12 às 16h44min

IoT é realidade distante do País

TOBIAS SCHWARZ
O uso de soluções de Internet das Coisas (IoT) pode levar as 20 maiores economias do mundo a duplicar o crescimento do seu Produto Interno Bruto (PIB) nos próximos anos. Como? Propiciando uma redução de custos a partir da utilização mais consciente dos insumos, como energia, e oferecendo uma nova gama de serviços inovadores, ajudando as empresas e cidades a serem mais competitivas. São grandes oportunidades, mas que o Brasil ainda não está sabendo aproveitar. O diretor da PwC Brasil, Norberto Tomasini, comenta que os brasileiros são consumidores ferozes das novas tecnologias. O Brasil tem um bom índice de população urbanizada e um grande mercado consumidor. Mas as vantagens tupiniquins param por aí. "Existe uma defasagem gigantesca no Brasil para implantar projetos de IoT. Não podemos esperar mais", alerta. Uma delas é a de talentos. Ele estima que precisaríamos de pelo menos 70 mil profissionais para desenvolver esses projetos. Faltam profissionais qualificados, porque poucas empresas estão estudando a fundo esse tema por aqui. A infraestrutura também é uma dificuldade.
Já na Espanha...
Na cidade espanhola de Santander, uma empresa de plano de saúde resolveu utilizar IoT para monitorar a qualidade de vida dos seus clientes. Para isso, instalou no vaso sanitário das residências sensores que detectam na urina qualquer sinal de taxas elevadas de açúcar ou infecções. O resultado dessa inovação foi a possibilidade de identificar mais rapidamente qualquer anormalidade na saúde dos seus clientes - antes que isso se tornasse um problema mais sério e levasse a um aumento do uso dos serviços de assistência médica oferecidos. Para quem se preocupa com a privacidade, vale destacar que a adesão ao sistema é consensual. Se o usuário aceitar, ele pagará menos mensalmente pelo seu plano.
Robô financeiro
Uma semana e meia. Esse foi o tempo que a L&S Quant precisou para vender todas as 36 licenças disponíveis do seu primeiro robô, um software que opera o mercado financeiro. A estimativa é que, atualmente, 80% do volume do mercado financeiro nos EUA já seja gerado por robôs. "Sempre trabalhamos com análise técnica de ponta, desenvolvendo novas táticas para se operar no mercado financeiro. Agora, essas estratégias estão começando a ser automatizadas através da L&S Quant", explica o sócio-fundador do Grupo L&S, Alexandre Wolwacz.
Desafio de Inovação
A Procergs realiza, hoje e amanhã, o 1º Desafio de Inovação. A atividade tem foco em serviços públicos ao cidadão e é direcionada aos profissionais da empresa. Os trabalhos serão classificados nas categorias Ideias e Protótipos, e serão avaliados por um júri. "A iniciativa está alinhada ao posicionamento da Procergs, defende o uso intensivo de novas tecnologias e plataformas para alavancar a qualidade dos serviços públicos", explica a vice-presidente da companhia, Deborah Villela.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Rafael 03/06/2016 18h57min
Então vocês precisam conhecer a Konker gokonker konker konkerlabs connectedsolutions