Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de dezembro de 2016. Atualizado às 15h19.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 02/06/2016. Alterada em 27/12 às 16h24min

Frases e personagens

"As vendas no Dia dos Namorados deverão se manter no mesmo patamar registrado em 2015, em função do atual momento vivido pela economia, cujo viés de queda de consumo está sendo interrompido, chegou ao seu limite. Acreditamos que os consumidores fugirão de compras por meio dos cartões de crédito e uso do cheque especial. A melhor alternativa é as lojas utilizarem crediário próprio, que deverá estar protegido contra a inadimplência através do uso do SPC." Vitor Augusto Koch, presidente da FCDL-RS.
"Os presentes deverão estar concentrados em artigos do vestuário e calçados, perfumaria e cosméticos, além de outros artigos de uso pessoal. Realizar promoções diversas será uma bela maneira de atrair os consumidores, ainda temerosos em gastar." Também Vitor Augusto Koch
"Temos que acabar com a cultura do estupro, que impera no Brasil. Precisamos, mais do que punições, de mais educação, de mais esclarecimento e de mais engajamento de homens e mulheres contra isso. O que aconteceu com a menina no Rio de Janeiro tem que acabar." Fernanda Melchionna (P-Sol), vereadora de Porto Alegre.
"O Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre deste ano, que registrou contração de 0,3% ante o quarto trimestre e retração de 5,4% na comparação com igual período de 2015, mostra pequena mudança que está ocorrendo no País e que o setor acompanha. A crise que o Brasil vive é econômica, mas sobretudo de confiança no governo de Dilma Rousseff (PT)." Rafael Cervone Netto, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção.
"O cenário macroeconômico ainda está hostil, decorrente da falta de confiança de todos da sociedade na política, de que o governo anterior pudesse criar uma solução que pudesse reverter esse momento." Também Rafael Cervone Netto.
"Não tem qualquer suporte na realidade essas histórias sobre parar ou obstaculizar a Operação Lava Jato. Ninguém vai interferir na Lava Jato." Michel Temer (PMDB), presidente da República interino.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia