Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 27 de dezembro de 2016. Atualizado às 15h14.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

novo governo

Notícia da edição impressa de 01/06/2016. Alterada em 27/12 às 16h16min

Planalto analisa nomes para a pasta da Transparência

Eliana foi primeira mulher a se tornar ministra do STJ

Eliana foi primeira mulher a se tornar ministra do STJ


FREDY VIEIRA/JC
O Palácio do Planalto analisa ao menos três possibilidades para ocupar o Ministério da Transparência, que ficou vago com o pedido de demissão de Fabiano Silveira na segunda-feira. Os juristas Torquato Jardim e Eliana Calmon são os principais cotados. Jardim é advogado e foi ministro do Tribunal Superior Eleitoral entre 1988 e 1996. Eliana, por sua vez, foi a primeira mulher a se tornar ministra do Superior Tribunal de Justiça. Uma terceira opção é receber e avaliar nomes de uma lista tríplice com sugestões dos servidores da antiga Controladoria-Geral da União (CGU), que deu origem ao novo ministério.
Os servidores estão descontentes com a mudança e incomodados com a situação em que Silveira deixou o comando da pasta. Silveira pediu demissão do cargo após ser pego em grampo em conversas sobre a Lava Jato com o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Nelas, o ex-ministro defendia que Renan não entregasse documentos para a investigação da Lava Jato.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia