Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 19 de maio de 2016. Atualizado às 17h54.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Novo Governo

19/05/2016 - 17h54min. Alterada em 19/05 às 17h54min

Jucá: governo trabalha para aprovar meta fiscal e evitar paralisação de governo

O ministro do Planejamento, Romero Jucá, afirmou nesta quinta-feira (19) que o governo não dará coletiva de imprensa amanhã sobre o relatório bimestral de receitas e despesas porque a meta com a qual a equipe econômica trabalhará só será divulgada na próxima segunda-feira, 23. Ele reforçou que os ministérios trabalham para que a meta seja aprovada até sexta-feira, 27, o que evitaria a paralisação da máquina pública com um "shutdown".
"Não vai ter coletiva amanhã porque, na realidade, a nova meta será divulgada na segunda-feira. Não adianta fazer coletiva agora", disse Jucá após encontro com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.
O ministro confirmou que a situação da Eletrobras será incluída na proposta de nova meta fiscal com uma ressalva, uma vez que o governo não tem ainda um número que quantifique a necessidade de capitalização da empresa. "O governo tem que ter cautela", afirmou, repetindo que espera que a KPMG possa assinar o mais rápido possível um balanço completo da companhia.
O relatório de amanhã não contará com um novo contingenciamento, segundo o ministro. Jucá avaliou que um novo corte só é necessário após o dia 30 de maio e está confiante de que o Congresso Nacional irá aprovar a alteração da meta fiscal antes dessa data. "Contingenciamento só dia 30 e com a meta aprovada", frisou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia