Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de maio de 2016. Atualizado às 20h53.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Protestos

18/05/2016 - 20h31min. Alterada em 18/05 às 20h54min

Porto Alegre terá manifestação contra Temer nesta quinta

Cerca de 3 mil pessoas se reuniram no Centro Histórico no dia 11

Cerca de 3 mil pessoas se reuniram no Centro Histórico no dia 11


GIOVANNA K. FOLCHINI/JC
Porto Alegre está entre as cidades que programam manifestações nesta quinta-feira (19) contra o governo interino de Michel Temer (PMDB) e que propagandeiam que o processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff é um golpe. A movimentação está prevista para começar às 18h na Esquina Democrática, no Centro Histórico da Capital.
A convocação é feita pelas redes sociais, por grupos com diferentes denominações, e é reforçada na agenda disponível no site da Frente Brasil Popular (FBP). Alguns usam a chamada de Ato contra o golpe, Fora Temer. 
Em outras regiões do país, também há programação de eventos. Em Belo Horizonte, a partir as 17h está sendo chamado o Fora Temer BH - Golpista não deve Governar, na Praça Afonso Arinos. Em Brasilia, o Ato em Defesa do Voto Popular! será em frente ao Supremo Tribunal Federal (STF), na Praça dos 3 Poderes, a partir das 17h. Na capital paranaense, a manifestação começa às 11h, na Tenda dos Movimentos Sociais, na Praça Tiradentes.
Os movimento programam mais ações para a sexta-feira (20) e fim de semana. Os eventos têm ocorrido semanalmente. O prazo do processo de afastamento da presidente é de 180 dias, mas a duração dependerá dos procedimentos a serem cumpridos. Dilma foi afastada pelo Senado, em 12 de maio. Temer assumiu como presidente interino no mesmo dia, quando também anunciou seu ministério. No dia 11, houve manifestação contra a possibilidade de ascensão do peemedebista.  
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia