Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 16 de maio de 2016. Atualizado às 15h31.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Novo Governo

16/05/2016 - 15h31min. Alterada em 16/05 às 15h31min

Site do Planalto tem seção para Presidente Interino e Presidente Afastada


REPRODUÇÃO/JC
Amanda Breitsameter
O site do Palácio do Planalto precisou se ajustar à nova configuração do governo brasileiro. A solução foi separar em duas seções - a área do "Presidente Interino" e outra da "Presidente Afastada", com as informações de Michel Temer e Dilma Rousseff.
Enquanto a seção sobre Temer, o interino que concentra as atribuições de governar, traz "Agenda", "Discursos" e "Atuação como vice-presidente", o setor do site reservado a Dilma mostra "Áudios", "Entrevistas" e "Notas Oficiais", entre outros. Ainda há um terceiro menu na coluna da esquerda que apresenta os ministérios, que são estruturas permanentes. Os ministros de Temer foram empossados, não há titular interino.   
A separação ocorre após o afastamento da presidente Dilma, na última quinta-feira (12), quando o vice Michel Temer (PMDB) assumiu como presidente em exercício. A saída será de 180 dias, período que ocorre o processo de impeachment, para defesa de Dilma e julgamento final, que é presidido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski.
Na página inicial, chama a atenção para a denominação "Novo Governo", que inicialmente detalha o passo a passo do impeachment e as atribuições do "vice-presidente", agora interino, as funções de Temer e ainda uma lista intitulada "Direitos mantidos", que lista preceitos constitucionais e avisa: "Mudar o governo não significa deixar para trás as conquistas adquiridas." E, logo abaixo, tudo indica virão as realizações e notícias da gestão em curso. 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia