Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de maio de 2016. Atualizado às 02h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 12/05/2016. Alterada em 12/05 às 02h08min

Manifestantes a favor e contra impeachment fazem atos no País

PM do Distrito Federal usou gás de pimenta em militantes pró-Dilma

Brasília : People demonstrating against the impeachment of Brazilian President Dilma Rousseff clash with policemen in front of the National Congress in Brasilia on May 11, 2016. Brazil's Senate opened debate Wednesday ahead of a vote on suspending President Dilma Rousseff and launching an impeachment trial that could bring down the curtain on 13 years of leftist rule in Latin America's biggest country. Even allies of Rousseff, 68, said she had no chance of surviving the vote. / AFP / ANDRESSA ANHOLETE manifestação


ANDRESSA ANHOLETE/AFP/JC
Um homem foi detido na manifestação que ocorreu ontem na Esplanada dos Ministérios, segundo a Polícia Militar (PM) do Distrito Federal. O manifestante contra o impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT) teria agredido policiais jogando pedras. Segundo a PM, 5 mil manifestantes, dos quais 4 mil contra o impeachment e mil a favor, foram à Esplanada acompanhar a sessão plenária do Senado sobre a admissibilidade do processo contra a presidente.
Um grupo de mulheres também entrou em confronto com a polícia. Elas chegaram à Esplanada marchando e ficaram frente a frente com a PM, no lado esquerdo da barreira que separa manifestantes contrários e favoráveis ao afastamento de Dilma.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia