Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de maio de 2016. Atualizado às 02h08.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 12/05/2016. Alterada em 12/05 às 02h08min

Dilma Rousseff falará hoje pela manhã no Planalto

Dilma e o ministro Jaques Wagner observam a Esplanada pela janela

Brasília - Presidenta Dilma e o ministro Jaques Wagner observam movimento na Esplanada pela janela do Palácio do Planalto (Valter Campanato/Agência Brasil)


VALTER CAMPANATO/ABR/JC
A presidente Dilma Rousseff (PT) falará à imprensa hoje, às 10h, no Palácio do Planalto informou a assessoria da Presidência. A previsão é que, também pela manhã, ela seja notificada da decisão do Senado que deve culminar com o seu afastamento por até 180 dias. O Planalto confirmou ainda que a presidente gravou um vídeo ontem para comentar a decisão. Ele será disponibilizado nas redes sociais após a fala de Dilma. Segundo interlocutores, a presidente foi aconselhada pelo ministro da Advocacia-Geral da União (AGU), José Eduardo Cardozo (PT), a não usar as rádios e televisões para evitar possíveis questionamentos jurídicos. Além disso, segundo interlocutores, no formato de vídeo pelas redes sociais, Dilma "terá mais liberdade" para fazer críticas a seus opositores. A presidente apareceu ontem na janela do terceiro andar do Palácio do Planalto, onde fica o seu gabinete. Dilma surgiu ao lado do ministro do Gabinete Pessoal da Presidência, Jaques Wagner (PT), momento registrado por cinegrafistas e fotógrafos.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia